Conectar-se

Esqueci minha senha

Página no Facebook
Tópicos Recomendados
Últimos assuntos
» Estudo de Necromancer incompleto
Dom Maio 07, 2017 4:48 am por Saron Vacun

» Lista de Mods que você precisa ter em seu jogo
Qua Abr 12, 2017 11:48 pm por Qahnaarin

» Conquistas do Skyrim na STEAM
Qua Abr 12, 2017 11:46 pm por Qahnaarin

» Dmg Máximo
Qua Fev 15, 2017 1:04 pm por Ancient Mage DOVEZ

» Troco carta na STEAM - Preciso da carta de Talos
Ter Fev 14, 2017 11:49 pm por Qahnaarin

» Apresentação real
Sab Fev 11, 2017 3:09 pm por Qahnaarin

» Quer o status de ADM de volta Rachel?
Ter Fev 07, 2017 10:49 pm por Heisenberg

» Feliz Ano Novo - Happy New Year #2017
Ter Fev 07, 2017 7:29 pm por SombraLBR

» DOVEZ the Ancient mage
Seg Fev 06, 2017 11:07 am por Ancient Mage DOVEZ

» Não ter block nos posts-Ignore Ctonico
Dom Jan 15, 2017 11:06 pm por Qahnaarin

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Top dos mais postadores
Lady Shadow (1199)
 
Qahnaarin (1033)
 
Matos (808)
 
Heisenberg (377)
 
DinoBlue (375)
 
ADMORAES65 (342)
 
Narrador (266)
 
Sheklon (216)
 
Azazel (200)
 
Ersinoe (173)
 


The great War(A grande guerra)-Por Legate Justianus Quintius [Skyrim]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

The great War(A grande guerra)-Por Legate Justianus Quintius [Skyrim]

Mensagem por DovahNord em Qua Fev 26, 2014 10:57 pm

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Descrição:
Descreve todos os episódios da grande guerra entre Thalmors e Imperiais, desde a crise do Oblivion.


O livro:
Nota do autor: Muito do que está escrito neste livro é montado a partir de documentos capturados do inimigo durante a guerra, de interrogatório de prisioneiros, e relatos de testemunhas de soldados sobreviventes e oficiais imperiais. Eu comandei a Décima Legião em Hammerfell e Cyrodiil até que eu me feri em 175 durante o assalto à Cidade Imperial . Dito isto, a verdade plena de alguns eventos pode nunca ser conhecido. Eu fiz o meu melhor para preencher as lacunas com conjecturas educadas com base na minha experiência, bem como o meu conhecimento do inimigo.
***
A ascensão do Thalmor
Embora não bem conhecido, Summerset Isle sofreu com a crise de Oblivion , tanto quanto Cyrodiil. Os elfos guerrearam contra os Oblivion invasores, ocasionalmente, até mesmo atravessaram e fecharam portões para Oblivion. Como uma nação,tiveram mais sucessos do que Cyrodiil, embora as hordas de Oblivion ilimitadas fez o resultado uma conclusão precipitada.
O Thalmor sempre foi uma facção poderosa dentro de Summerset Isle, mas também sempre foi uma voz minoritária. Durante a crise, a Torre de Cristal foi forçada a dar aos Thalmor maior poder e autoridade. Seus esforços certamente salvaram Summerset Isle de ser invadida. Eles aumentaram o seu sucesso ao assumir o controle total em 4E 22 . Eles renomearam a nação Alinor, que remonta a uma época anterior antes da ascendência do homem. A maioria das pessoas fora do Aldmeri Dominion ainda chamam de Summerset Isle, seja por impertinência ou ignorância.
Em 4E 29 , o governo de Valenwood foi derrubado por colaboradores Thalmor e uma união com Alinor foi proclamada. Parece que os agentes Thalmor tinham formado laços estreitos com determinadas facções Bosmeri mesmo antes da crise Oblivion. O império e seus aliados Bosmer, pegos completamente desprevenidos, foram rapidamente derrotados pelas muito melhor preparadas forças Altmer  que invadiram Valenwood na esteira do golpe. Assim foi o renascer do Aldmeri Dominion.
Pouco depois, o Aldmeri Dominion cortou todo o contato com o Império. Por 70 anos eles ficaram em silêncio. Muitos estudiosos acreditam que houve algum tipo de conflito interno em Alinor, mas muito pouco se sabe sobre as lutas de facções que se passavam dentro do Dominion enquanto os Thalmor consolidaram seu poder em Summerset e Valenwood.
Na 4E 98, as duas luas, Masser e Secunda desapareceram. Dentro da maioria do Império,isso foi encarada com apreensão e medo. Em Elsweyr era muito pior. Culturalmente as luas são muito mais influente para os Khajiit. Depois de dois anos das Noites do Vácuo, as luas retornado. Os Thalmor anunciaram que tinham restaurado as luas usando anteriormente desconhecidas magias, mas não está claro se eles realmente restauraram luas ou apenas se aproveitaram da presciência que voltariam.
Independentemente da verdade da questão, os Khajiit creditaram os Thalmor como seus salvadores. Dentro de quinze anos, a influência Imperial em Elsweyr tinha sido tão diminuída que o Império era incapaz de responder de forma eficaz ao golpe de 4E 115 que dissolveu a Confederação Elsweyr e recriou os antigos reinos de Anequina e Pelletine como estados clientes do Aldmeri Dominion. Mais uma vez o Império não conseguiu parar o avanço dos Thamor.

Quando Titus Mede II subiu ao trono em 4E 168 , herdou um império enfraquecido. Os dias de glória dos Septims eram uma memória distante. Valenwood e Elsweyr foram embora, cedido ao inimigo Thalmor. Black Marsh tinha sido perdido para o governo imperial desde o rescaldo da crise Oblivion. Morrowind nunca se recuperou totalmente da erupção do Monte Vvardenfell . Hammerfell foi atormentado por brigas internas entre Coroas e Antepassados ​​. Só High Rock , Cyrodiil e Skyrim permaneceram prósperos e pacíficos.
Imperador Titus Mede tinha apenas poucos anos para consolidar seu governo antes de sua liderança ser posta à prova final.
***
A Guerra Começa
No dia 30 de Frostfall, 4E 171, o Aldmeri Dominion enviou um embaixador para a Cidade Imperial com um presente em um carro coberto e um ultimato para o novo Imperador. A longa lista de exigências incluiu homenagens surpreendentes, dissolução dos Blades , a proíbição a adoração de Talos , e ceder grande parte de Hammerfell ao Dominion. Apesar das advertências de seus generais de fraqueza militar do Império, o imperador Titus Mede II rejeitou o ultimato. O embaixador Thalmor descobriu o carrinho, derramando mais de cem cabeças no chão: cada agente Blades em Summerset e Valenwood. E assim começou a grande guerra que iria consumir o Império e o Aldmeri Dominion pelos próximos cinco anos.
Dentro de dias, os exércitos Aldmeri invadiram Hammerfell e Cyrodiil simultaneamente. A grande força comandada pelo general Thalmor Lord Naarifin atacacou Cyrodiil pelo sul, marchando através dos campos escondidos ao norte de Elsweyr e flanqueando as defesas imperiais ao longo da fronteira de Valenwood. Leyawiin logo caiu para os invasores, enquanto Bravil foi cortada do resto do império e sitiada.
Ao mesmo tempo, um exército Aldmeri sob liderança de Lady Arannelya cruzou para Cyrodiil ocidental por Valenwood, ignorando Anvil e Kvatch e cruzou para Hammerfell. Forças menores Aldmeri desembarcaram ao longo da costa sul de Hammerfell. As desunidas forças Redguard ofereceram apenas uma resistência espalhada aos invasores, e grande parte da costa sul foi rapidamente dominada. As em grande desvantagem numérica legiões imperiais recuaram para todo o Deserto Alik'r na agora famosa marcha da sede.
***

4E 172-173: Os Aldmeri avançam para Cyrodiil
Parece agora que o objetivo inicial dos Aldmeri era de fato a conquista de Hammerfell, e que a invasão de Cyrodiil foi feita apenas para fechar as legiões imperiais enquanto Hammerfell foi invadida. No entanto, o sucesso inicial surpreendente do ataque que o Lord Naarifin liderou levou os Thalmor a acreditar que o Império era mais fraco do que eles pensavam. A captura da própria Cidade Imperial e a derrubada completa do Império tornou-se, assim, o seu objectivo primordial dos próximos dois anos. Como sabemos, os Thalmor quase alcançaram o seu objectivo. Foi só por causa de uma liderança firme de nosso imperador durante a hora mais negra do Império que este desastre foi evitado.
Durante 4E 172, os Aldmeri avançaram mais fundo em Cyrodiil. Bravil e Anvil ambos cairam para os invasores. Até o final do ano, Lord Naarifin tinha avançado para as próprias paredes da Cidade Imperial. Houve confrontos navais ferozes em Lake Rumare e ao longo da Niben enquanto as forças imperiais tentavam segurar a margem oriental.
Em Hammerfell, os Thalmor se contentavam em consolidar os seus ganhos à medida que assumiram o controle de toda a costa do sul, que na verdade era seu objectivo declarado no ultimato entregue ao Imperador. Das cidades do sul, apenas Hegathe se segurou. Os sobreviventes da Marcha da Sede reagruparam ao norte Hammerfell, apoiado por reforços de High Rock.
O ano 4E 173 viu enrijecimento da resistência Imperial em Cyrodiil, mas o avanço Aldmeri aparentemente inexorável continuou. Legiões frescas de Skyrim reforçaram o principal exército do imperador na Cidade Imperial, mas a Aldmeri forçaram a travessia do Niben e começou a avançar em vigor até a margem oriental. Até o final do ano, a Cidade Imperial foi cercado por três lados - apenas a rota de abastecimento norte de Bruma permaneceu aberta.
Em Hammerfell, a sorte imperial deu uma guinada para melhor. No início de 4E 173, um exército Antepassado de Sentinela quebrou o cerco de Hegathe (a cidade dos Coroas), levando à reconciliação das duas facções. Apesar disso, o principal exército de Lady Arannelya conseguiu cruzar o deserto Alik'r. As legiões imperiais sob o general Decianus encontraram com eles fora de Skaven em um confronto sangrento e indeciso. Decianus retirou e deixou Arannelya na posse de Skaven, mas os Aldmeri foram demasiadamente enfraquecidos para continuar seu avanço.
***

4E 174: O saque da Cidade Imperial
Em 4E 174, a liderança Thalmor mandou todas as forças disponíveis para a campanha em Cyrodiil, apostando em uma vitória decisiva para acabar com a guerra de uma vez por todas. Durante a primavera, os reforços Aldmeri reuniram-se no sul de Cyrodiil, e no dia 12 do Second Seed, eles lançaram um ataque maciço na própria Cidade Imperial. Um exército se dirigia para o norte para cercar completamente a cidade, enquanto principal força do Lord Naarifin atacou as paredes do sul, leste e oeste. A decisão do imperador para lutar seu caminho para fora da cidade, em vez de fazer uma última posição foi um tanto ousada. Nenhum general ousou aconselhá-lo a abandonar a capital, mas Titus II foi provado certo no final.
Enquanto a Oitava Legião travou uma ação de retaguarda desesperada (e condenada) nas paredes da cidade, Titus II saiu para fora da cidade em direção ao norte com seu exército principal, quebrando através das forças vizinhas Aldmeri  e ligando-se com reforços marchando para o sul de Skyrim com General Jonna. Enquanto isso, no entanto, a capital caiu para os invasores e o saque infame da Cidade Imperial começou. O Palácio Imperial foi queimado, a White Gold Tower,saqueada, e toda tipo de atrocidades cometidas pelos elfos vingativos sobre a população inocente.

Em Hammerfell, General Decianus estava se preparando para tirar os Aldmeri de Skaven quando ele foi ordenado a marchar para Cyrodiil. Recusando-se a abandonar Hammerfell completamente, ele permitiu que um grande número de "inválidos", a ser tirados das Legiões antes que eles marcharam para o leste. Estes veteranos formaram o núcleo do exército que eventualmente levou as forças de Lady Arannelya de volta através de Alik'r no fim de 174, tendo grandes perdas em sua fuga dos perseguidores guerreiros Alik'r.
***
4E 175: A Batalha do Anel Vermelho
Durante o inverno de 4E 174-175, os Thalmor parecem ter acreditado que a guerra no Cyrodiil tinha terminado. Eles fizeram várias tentativas de negociar com Titus II. O imperador encorajou-os em sua crença de que ele estava se preparando para se render, enquanto isso, ele reuniu suas forças para retomar a Cidade Imperial.
No que hoje é conhecida como a Batalha do Anel Vermelho , uma batalha que vai servir de modelo para os estrategistas imperiais para as gerações vindouras, Titus II dividiu suas forças em três. Um exército, com as legiões de Hammerfell sob o general Decianus, estava escondido nas Highlands Colovian perto de Chorrol . Os Aldmeri não sabiam que ele não estavam mais em Hammerfell, possivelmente porque os veteranos que Decianus tinha deixado para trás levaram Lady Arannelya a acreditar que ela ainda enfrentava um exército imperial. O segundo exército, em grande parte, de legiões Nordícas sob o general Jonna, tomou posição perto Cheydinhal. O principal exército era comandado pelo próprio Imperador, que assumiria o assalto principal da cidade imperial do norte.
No dia 30 de Rain's Hand, a sangrenta Batalha do Anel Vermelho começou com General Decianus atacando pelo oeste, enquanto legionários do General Jonna dirigiram-se ao sul ao longo do Anel Rodoviário Vermelho. Em um ataque de dois dias, o exército de Jonna cruzou a Niben e avançaram a oeste, na tentativa de encontrarem-se com as legiões de Decianus e, assim, cercar a Cidade Imperial. Lord Naarifin foi pego de surpresa pelo ataque de Decianus, mas as tropas de Jonna enfrentou resistência amarga quando os Aldmeri contra-atacaram de Bravil e Skingrad . Os legionários Nordicos heróicos mantiveram-se firmes, no entanto, defendendo-se de duros ataques dos Aldmeri. No quinto dia da batalha, o exército Aldmeri na Cidade Imperial foi cercado.
Titus II liderou o ataque a partir do norte, pessoalmente capturou Lord Naarifin. Há rumores de o Imperador empunhou a famosa espada GOLDBRAND, embora isso nunca tenha sido oficialmente confirmada pelo governo imperial. Uma tentativa do Aldmeri para sair da cidade pelo sul foi bloqueada pela muralha de escudos inquebrável de legiões do General Jonna.
No final, o exército principal Aldmeri em Cyrodiil foi completamente destruído. A decisão do Imperador de se retirar da Cidade Imperial em 4E 174 foi sangrentamente comprovada a melhor escolha.
Lord Naarifin foi mantido vivo por 33 dias, enforcado pela White-Gold Tower. Não é registrado onde seu corpo foi enterrado, se ele foi enterrado. Uma vez que fontes dizem que ele foi levado por um Daedra alado no trigésimo quarto dia.
***
The White-Gold Concordata e o Fim da Guerra
Embora vitoriosos, os exércitos imperiais não estavam em forma para continuar a guerra. Toda a força imperial restante foi reunida em Cyrodiil, exausta e dizimada pela Batalha do Anel Vermelho. Nem uma única legião tinha mais da metade de seus soldados aptos para o serviço. Duas legiões haviam sido efetivamente aniquiladas, sem contar a perda da Oitava durante o retiro da Cidade Imperial no ano anterior. Titus II sabia que não haveria melhor momento para negociar a paz, e no final de 4E 175 o Império e o Aldmeri Dominion assinaram a White-gold concordata, terminando a Grande Guerra.
Os termos foram duros, mas Titu II acreditava que era necessário para garantir a paz e dar ao Império a chance de recuperar sua força. Os dois termos mais controversos da Concordata foram a proibição do culto de Talos e da cedência de uma grande parte do sul da Hammerfell (mais do que já foi ocupada por forças Aldmeri). Os críticos têm apontado que a Concordata é quase idêntica ao ultimato ao Imperador rejeitou cinco anos antes. No entanto, existe uma grande diferença entre concordar com os termos sob a mera ameaça de guerra, e concordar com eles no final de uma guerra longa e destrutiva. Nenhuma parte do Império teria aceitado estes termos em 4E 171, ditada pelos Thalmor com espadas em punho. Titus II teria enfrentado uma guerra civil. Em 4E 175, a maior parte do Império acolheu a paz por quase qualquer preço.

***
Epílogo: Hammerfell Luta sozinho
Hammerfell, no entanto, se recusou a aceitar o White-gold Concordata, não estando disposto a admitir a derrota e a perda de grande parte do seu território. Titus II foi forçado a renunciar oficialmente Hammerfell como uma província imperial, a fim de preservar o tratado de paz duramente conquistado. Os Redguards, compreensivelmente, olharam para isso como uma traição. Nisto, os Thalmor certamente alcançaram um de seus objetivos a longo prazo por meio do plantio de uma amargura duradoura entre Hammerfell e o Império.
No final, os Redguards heróicos lutaram contra o Aldmeri Dominion até um impasse, apesar de a guerra durar mais de cinco anos e deixar o sul de Hammerfell devastada. Os Redguards dizem que isso prova que a White-Gold Concordata era desnecessária, e que se Titus II tivesse mantido a calma, os Aldmeri poderiam ter sido verdadeiramente derrotado pelas forças combinadas de Hammerfell e do resto do Império. A verdade desta afirmação pode, é claro, nunca será conhecida. Mas os Redguards não devem esquecer o grande sacrifício de sangue Imperial - Breton, Nordico, e Cyrodilíco - na Batalha do Anel Vermelho que enfraqueceu o Dominion o suficiente para permitir o eventual segundo Tratado de Stros M'kai em 4E 180 e a retirada de forças do Aldmeri de Hammerfell.
Não pode haver dúvida de que a paz atual não pode durar para sempre. Os Thalmor tomam  uma visão de longo prazo, como é provado pela seqüência de eventos que levaram à Grande Guerra. Todos aqueles que valorizam a liberdade sobre a tirania só podem esperar que, antes que seja tarde demais, Hammerfell e o Império se reconciliem e estejam unidos contra a ameaça Thalmor. Caso contrário, qualquer esperança de conter a onda do poder Thalmor sobre toda Tamriel está esmaecido.

__________________________________________
Peace is a lie, there is only passion.
Through passion, I gain strength.
Through strength, I gain power.
Through power, I gain victory.
Through victory, my chains are broken.
The Force shall free me.
avatar
DovahNord
Milk Drinker

Mensagens : 27
Data de inscrição : 20/02/2014
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The great War(A grande guerra)-Por Legate Justianus Quintius [Skyrim]

Mensagem por DovahNord em Qua Fev 26, 2014 10:58 pm

Finalmente acabei!!! cheers  cheers nossa isso deu trabalho...vamos valorizar ai galera.

__________________________________________
Peace is a lie, there is only passion.
Through passion, I gain strength.
Through strength, I gain power.
Through power, I gain victory.
Through victory, my chains are broken.
The Force shall free me.
avatar
DovahNord
Milk Drinker

Mensagens : 27
Data de inscrição : 20/02/2014
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The great War(A grande guerra)-Por Legate Justianus Quintius [Skyrim]

Mensagem por Lady Shadow em Qua Fev 26, 2014 11:01 pm

Parabéns.

Imitem ele u.u

__________________________________________
Treta's Princess
"Nada é verdade, tudo é permitido. Faz o que tu queres, pois há de ser tudo da lei."
"Paz sem voz, não é paz é medo"
"Antítese de Akatosh"
"Eu sou o fogo que nunca se acaba, a maldição que nunca termina, a benção inesgotável. A força infinita, o sucesso que não distingue, a vitória sobre tudo. Eu Sou"
avatar
Lady Shadow
Treteira

Mensagens : 1199
Data de inscrição : 01/02/2014
Idade : 24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The great War(A grande guerra)-Por Legate Justianus Quintius [Skyrim]

Mensagem por Qahnaarin em Qua Fev 26, 2014 11:06 pm

Legal DovahNord! É de membros assim que o fórum precisa!

Imitem ele²

__________________________________________
Administrador do Fórum



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
avatar
Qahnaarin
High King

Mensagens : 1033
Data de inscrição : 31/01/2014
Idade : 25

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The great War(A grande guerra)-Por Legate Justianus Quintius [Skyrim]

Mensagem por DovahNord em Qua Fev 26, 2014 11:10 pm

Obrigado gente haha amanha tem mais livro...to pensando no The book of the Dragonborn ou The Oblivion crisis

__________________________________________
Peace is a lie, there is only passion.
Through passion, I gain strength.
Through strength, I gain power.
Through power, I gain victory.
Through victory, my chains are broken.
The Force shall free me.
avatar
DovahNord
Milk Drinker

Mensagens : 27
Data de inscrição : 20/02/2014
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The great War(A grande guerra)-Por Legate Justianus Quintius [Skyrim]

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum